portal Casa e Cia
Casa&Construção  
 
Reportagens

Integração em espaço pequeno
No apartamento de 40m², a arquiteta Lígia Resstom derrubou paredes, uniu a sala à cozinha e usou MDF no lugar da alvenaria para criar divisórias mais funcionais

Texto: M.N.Nunes Fotos: Lucas Fonseca


O PISO DE PORCELANATO em toda a área social - salas de estar, de jantar, cozinha e quarto - foi escolhido por ser prático, fácil de limpar e ter boa relação custo-benefício (o metro quadrado do modelo mais simples custa cerca de R$ 25 e tem até 10 anos de vida útil, pedindo apenas cuidados básicos). A parede pintada de azul petróleo tem a função decorativa de produzir contraste no ambiente

"A preocupação da reforma foi criar espaços multifuncionais. Derrubei paredes para compor um ambiente básico e contemporâneo"

O QUADRO DE LUZ foi transformado em detalhe decorativo com o lambril de MdF criado na horizontal. acima e abaixo dele, espelhos para "duplicar" o ambiente e dar a sensação de que é maior. aberta, a porta de correr do quarto (ao fundo) fica acomodada em um vão na parede falsa de MdF.

 

 

O APARTAMENTO ERA TODO CIMENTADO , sem acabamento, antes da reforma. O piso de porcelanato, que é mais sofi sticado, foi colocado sobre o cimento.


O apartamento pequeno, de 40m², foi escolhido mais pelas qualidades do prédio e da vizinhança do que por suas próprias características. Explica-se: o proprietário é um piloto que já morava em um flat no mesmo prédio e adquiriu o imóvel porque queria um canto para chamar de seu sem abrir mão dos confortos oferecidos pelo condomínio e da proximidade com sua base de trabalho, o aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

VISTAS DO MÓVEL DE MDF com prateleira e vidro que substituiu a antiga parede de alvenaria. dessa forma, a arquiteta criou espaços integrados (o balcão pode ser usado dos dois lados, bastando mudar a posição das cadeiras) e melhorou a luminosidade com a ajuda da porta de alumínio e vidro leitoso entre a cozinha e a área de serviço. toda a marcenaria do apartamento - inclusive armários da cozinha e estante da tevê - foram projetados sob medida.

O REVESTIMENTO DE MADEIRA disfarça a pilastra estrutural do prédio, que ficou à mostra quando a parede original de alvenaria, que separava a sala do quarto, foi derrubada em nome da integração. a arandela reforça a função decorativa do arranjo.

A arquiteta Lígia Resstom foi contratada para reformular o apartamento. Começou com alguns ajustes na planta, derrubando duas paredes de alvenaria: a que dividia a cozinha e sala de estar e a do quarto. Na hora de refazer as divisórias, optou por soluções alternativas. Entre a cozinha e a sala, um móvel projetado sob medida tem a função de balcão e pode servir de apoio tanto a quem está na cozinha quanto na sala. Já no quarto, que teve todo o seu mobiliário projetado sob medida, foi feita uma falsa parede de MDF pintado de branco com porta de correr, única possibilidade de evitar choque com a porta do banheiro, que abre na mesma direção. "Quando está sozinho em casa, o morador tem um apartamento integrado. Se recebe visitas, fecha a porta do quarto e preserva sua intimidade", diz a arquiteta.

A respeito da parede de MDF, vale a pena destacar ainda a solução encontrada para disfarçar a viga de sustentação (horizontal) e a pilastra (vertical), itens estruturais do edifício que ficaram à mostra com a demolição da parede original de alvenaria. Elas receberam um revestimento de madeira com frisos e se tornaram, dessa forma, detalhes decorativos. O trabalho de marcenaria foi o item mais caro do projeto. "Mas sairia ainda mais caro se optássemos por alvenaria para refazer as paredes", diz a arquiteta. O custo total da reforma foi de R$ 30 mil.

O banheiro foi todo reformulado com azulejos de porcelanato nas paredes, box de vidro, bancada de mármore e piso de pastilhas de vidro pretas. E, por falar em piso, foi instalado porcelanato em todos os outros cômodos, sobre o contrapiso de cimento aparente que existia antes da reforma.

O REVESTIMENTO DE PASTILHAS DE VIDRO PRETAS atrás da pia serve para manter uma linguagem uniforme - o piso do banheiro usa o mesmo material - além da fácil manutenção e limpeza no dia-a-dia. O tampo é de granito e os armários, projetados sob medida.
SALA DE JANTAR E FRISO HORIZONTAL na parede visto a partir do móvel vazado que separa parcialmente as salas da cozinha.

Apesar de pequeno, o apartamento conta até com sala de jantar. A mesa com quatro cadeiras fica junto a uma parede que foi decorada com um lambril branco horizontal central cuja função é disfarçar o quadro de luz sem dificultar o acesso a ele. Acima e abaixo desse lambril, espelhos instalados para dar a sensação de que o ambiente é maior.

TODO REFEITO, O BANHEIRO ganhou forro de gesso para embutir iluminação de qualidade. as paredes foram revestidas com azulejos de porcelanato e, no piso, foram usadas pastilhas de vidro pretas. Gabinetes e espelho foram feitos especialmente para esse apartamento, com projeto de Lígia resstom.

 


PISO DE PASTILHAS de vidro no banheiro.


CUBA BRANCA NA BANCADA DE GRANITO PRETO cria um elegante efeito preto e branco, com linhas retas que acompanham as dos outros ambientes do apartamento. a cuba retangular é também fácil de ser instalada, pois não pede recortes complexos na pedra de granito.

A FALSA PAREDE DE MDF (atrás da cama) foi construída no lugar da divisória de alvenaria, demolida. Os detalhes marrons são disfarces para vigas e colunas estruturais. Ao fundo, mesa de jantar e parede azul cuja função é dar contraste ao ambiente.
OS ARMÁRIOS ASSIM COMO TODA MARCENARIA , foram feitos sob medida. Esse foi o trabalho mais caro da obra. A reforma custou R$ 30 mil.


A VARANDA foi fechada com guarda-corpos de alumínio e vidros de correr. O objetivo foi isolar o barulho da rua e aumentar a área útil.